Quando Nietzsche Chorou #27

110003_w235_c0315687e375367f33cd8a45806a08f5

Autor: Irvin D. Yalom
Editora: Ediouro
Ano: 2005
Páginas: 402

“É simplesmente um desejo infantil, e nada mais! É um desejo de não morrer, um desejo do eterno mamilo intumescido que rotulamos de ‘Deus’. A teoria da evolução demonstra cientificamente a redundância de Deus. Certamente, o senhor tem que entender que nós criamos Deus e que todos nós conjuntamente agora o matamos.”

Um romance histórico impressionante. O autor juntou pedaços das biografias de Sigmund Freud, Friedrich Nietzsche e do psicanalista austríaco Josef Breuer para criar uma história fictícia. O que mais impressiona na obra é que algumas passagens são reais: algumas cartas de Nietzsche, o estudo pioneiro de Breuer com pombos, a amizade deste com Freud, até mesmo os principais pacientes são reais.

O livro conta a história do encontro de Nietzsche com Breuer, para que este último trate da tendência suicida e das fortes enxaquecas do primeiro, durante o ano de 1882. Breuer, um renomado médico vienense de 40 anos, é assombrado pelos desejos eróticos sobre uma de suas pacientes, Bertha de 21 anos, e assustado com a chegada da decadência da velhice. Estando de férias em Veneza recebe a visita de Lou Salomé, uma russa enigmática, com pensamentos e atitudes de uma pessoa livre dos acordos sociais. Lou pede a Breuer que trate de seu amigo íntimo, um filósofo com uma mente a frente de seu tempo, chamado Nietzsche.
A relação, conflituosa no início, se torna surreal. De médico, Breuer vira paciente de Nietzsche, para após ser curado voltar a ser seu médico.

Seus problemas clamam por atenção apenas para obscurecer aquilo que não deseja enxergar.

A grande reflexão da obra gira em torno de pontos cruciais da filosofia de Nietzsche: a solidão, abandonar os pensamentos fúteis, crescimento intelectual, pensamento racional. Uma grande questão é levantada: a vida que se vive é uma escolha sua, ou vivemos uma vida escolhida pelos outros, pela sociedade, pela família? É possível se distanciar de si mesmo para se ver sobre um outro prisma? É possível construir um navio em alto mar, ou seja, mudar a vida que se tem mesmo depois de já ter feito suas escolhas?
Um livro de grandes reflexões!
Muito bom para tirar o leitor de sua zona de conforto, mexer com seu imaginário.
Primeiro construa o que lhe é necessário, depois ame-o!

Até mais!

P.S. Desculpem a foto, mas o livro me foi emprestado e devolvi sem fotografá-lo. 😉

O filme Quando Nietzsche Chorou, de 2007 é uma adaptação do livro.

Comprar:

Amazon

Anúncios

4 comentários

  1. Final de semana chegando e não tem nada melhor do que conhecer novos BLOGS com diversos assuntos e até mesmo cultura diferente… Adoro fazer novos colegas nessa blogoesfera imensa! 🙂
    Que bacana que entrei aqui!
    Parabéns pelo espaço. Super clean e ótimos posts.
    Sucesso!

    Estendo aqui o convite para conhecer o meu blog… Ficarei contente com sua visita!

    HuG! 😀

    http://www.andrehotter.com
    👻 Snapchat: andrehotter
    📸 Instagram: @andrehotter

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s