Édipo Rei #1

P_20180310_161003_1_1.jpgAutor: Sófocles
Ano: 2005
Páginas: 115
Formato: Epub

Ele vê, mas tornar-se-á cego; é rico, e acabará mendigando; seus passos o levarão à terra do exílio. onde tateará o solo com seu bordão. Ver-se-á também, que ele é ao mesmo tempo, irmão e pai de seus filhos, e filho e esposo da mulher que lhe deu a vida; e que profanou o leito de seu pai, a quem matara.

Sófocles foi um dramaturgo grego e um dos mais importantes escritores de tragédia da Grécia Antiga. Viveu no apogeu da cultura helênica e por quase 50 anos foi o mais celebrado dos dramaturgos nos concursos dramáticos da cidade-estado de Atenas. Sófocles competiu em cerca de 30 concursos, venceu 24 deles e, segundo fontes da época, nunca ficou abaixo do segundo lugar. Em sua tragédias, mostra dois tipos principais de sofrimentos: o que decorre do excesso de paixão e o que é consequência de um acontecimento acidental (destino). Sófocles inovou o teatro grego ao reduzir a importância do coro, relegando-o ao papel de observador do drama que se desenrola à sua frente. Édipo Rei é a primeira obra da Trilogia Tebana e foi escrita em 427 a.C.

De que serve afligir-se em meios de terrores, se o homem vive à lei do acaso, e se nada pode prever ou pressentir! O mais acertado é abandonar-se ao destino. A ideia de que profanarás o leito de tua mãe te aflige; mas tem havido quem tal faça em sonhos…O único meio de conseguir a tranquilidade de espírito consiste em não dar importância a tais temores.

A obra conta a história de Édipo, rei de Tebas, que ao ver que a cidade sofria com doenças e mortes mandou um mensageiro ao oráculo para que os deuses se pronunciassem sobre a cura dos males. Os deuses respondem que enquanto o assassino de Laio, o antigo Rei, ainda estiver vivendo em Tebas os males permanecerão. Édipo então ordena que aquele que souber o paradeiro do assassino que o leve ao palácio para que este seja exilado ou morto.

Mas Édipo carrega consigo uma antiga profecia de que mataria seu pai e profanaria o leito deste ao casar com a mãe. Como cresceu no lar de Políbio em Corinto, logo jovem fugiu de casa para evitar esse funesto destino. Mas uma nova informação trazida por um mensageiro e um velho cego adivinho muda completamente a história.

Apolo, conforme deves ter sabido por meus emissários, declarou a nossos mensageiros que só nos libertaremos do flagelo que nos maltrata se os assassinos de Laio forem descobertos nesta cidade, e mortos ou desterrados.

Quando criança, Édipo nasceu no berço real de Tebas, sendo filho de Laio e Jocasta. Como carregava essa profecia, os pais de Édipo o colocaram em uma caverna para que morresse. Um velho pastor de ovelhas achou a criança e a levou para Corinto, para ser criada em casa de Políbio. Já na fase adulta, após uma briga em Corinto, Édipo sai pela estrada e encontra com a comitiva real de Tebas e em um momento de fúria mata Laio, sem saber que o mesmo era Rei de Tebas e muito menos seu pai. Após esse incidente ele se muda para Tebas, toma por esposa a Rainha (e sua mãe) Jocasta, e tem com ela quatro filhos.

Ao descobrir a verdade, Édipo é tomado por um terror enorme. Ao procurar por Jocasta dentro do palácio descobre que ela se enforcou e seu pânico aumenta. Tomado por um impulso de ódio e pavor, Édipo arranca seus olhos e deseja a morte. Creonte, irmão de Jocasta, consegue segurar o ímpeto de Édipo e o leva para o palácio, junto aos filhos.

Não quero mais ser testemunha de minhas desgraças, nem de meus crimes! Na treva, agora, não mais verei aqueles a quem nunca deveria ter visto, nem reconhecerei aqueles que não quero reconhecer!

É uma obra tão importante de significados que Aristóteles considerou esta como o melhor exemplo da tragédia grega. Freud se baseou na história de Édipo para cunhar o termo Complexo de Édipo. E é realmente um texto surpreendente. Não saber da verdade salvaria Édipo, mas como é possível viver na mentira por tanto tempo? Não ver mais o mundo foi a solução encontrada por Édipo para fugir de sua vergonha. Mas a história não termina aqui. Na continuação da trilogia, Édipo se exila em Colono e seus filhos se tornam mais presentes em sua vida. Não perca a continuação da Trilogia Tebana.

Na imagem destacada o quadro do pintor francês François Xavier Fabre, chamado Édipo e a Esfinge.

Há uma adaptação cinematográfica da obra, de 1968, com a direção de Pier Paolo Pasolini, chamada Édipo Rei.

Comprar:

Amazon

Até a próxima!

Anúncios

6 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s