O Pé do Diabo #18

P_20181227_175809_MT_1.jpgEditora: Martin Claret
Ano: 2012
Páginas: 29

“Todo aplauso popular sempre aborreceu esse espírito sombrio e cínico, e nada o divertia mais ao fim de um caso bem-sucedido que entregar a solução de fato a um funcionário ortodoxo e ouvir, com um sorriso zombeteiro, o coro geral de inadequadas felicitações.”

Nesse conto, Watson relembra o caso do “Horror da Cornualha”, que se passou em um momento diferente, pois Watson e Holmes estavam de férias na Cornualha quando foram chamados pelo vigário local para dar a solução para um caso bizarro. Mortimer Tregennis estava na casa de seus irmãos, dois homens e uma dama, jogando carteado até tarde da noite. Retornou para a sua própria casa e retornou ante do amanhecer, mas encontrou um cenário de terror:

A irmão sentava-se recostada, morta, na cadeira, enquanto os dois irmãos, ao lado, riam, gritavam e cantavam ensandecidos. Todos os três, a morta e os dois dementes, exibiam no rosto uma expressão de extremo horror – uma convulsão de terror assustadora de olhar.

Holmes e Watson saem em busca de explicações, mas logo se deparam com outro caso: o próprio Tregennis jazia morto em seus aposentos, com a mesma expressão de horror em sua face. Logo o detetive descobre que algo maior estava por trás daquelas mortes e um recém chegado da África poderia ser a chave para descobrir o assassino. Leon Sterndale, um notável caçador de leões, era apaixonado pela irmã de Tregennis, Brenda, mas eles não podiam se casar.

Receio que, se a questão transcende a natureza humana, sem dúvida vai além da minha capacidade. Precisamos, contudo, esgotar todas as explicações naturais antes de recorre a uma teoria como essa.

Quando Mortimer descobriu que Leon estava retornando para finalmente se casar com sua irmã, Mortimer decidiu matá-la utilizando uma erva que o próprio Leon havia dado muitos anos antes, chamada Erva Pé do Diabo. Descobrindo que sua amada fora morta, Leon jurou vingança e usou o mesmo veneno em Mortimer. Holmes e Watson usaram, então, parte da dose para descobrir os seus efeitos e ficaram horrorizados com o que sentiram. Absolveram Leon e o deixaram partir, pois sabiam que seu coração partido era a sua maior punição.

Na imagem destacada o quadro Sophonisba Receiving the Cup of Poison, de Salomon Koninck.

Esse conto faz parte da coletânea O Último Adeus de Sherlock Holmes, que você pode adquirir na Amazon.

Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s