Filmes de Guerra, Canções de Amor #22

The Accountant of Auschwitz

Resultado de imagem para The Accountant of Auschwitz

Título em português: O Contador de Auschwitz
Ano: 2018
Diretor: Matthew Shoychet
País: Holanda

Esse documentário conta a história de Oskar Gröning, um ex-oficial da SS nazista que serviu no exército alemão no campo de concentração de Auschwitz. Suas responsabilidades incluíam contar e classificar o dinheiro retirado dos prisioneiros recém chegados. Em algumas ocasiões, testemunhou os procedimentos de matança em massa no campo. Gröning foi capturado pelos britânicos em 10 de junho de 1945. Ele foi posteriormente transferido para a Grã-Bretanha como prisioneiro de guerra.

Ao retornar à Alemanha, ele conduziu uma vida normal, relutante em falar sobre seu tempo em Auschwitz. No entanto, mais de 40 anos depois, ele decidiu contar suas atividades em Auschwitz depois de ouvir sobre a negação do Holocausto. Desde então criticou abertamente aqueles que negam os eventos que ele testemunhou, e a ideologia a que ele já se inscreveu. Mas as suas revelações levantaram outras questões e ele foi indiciado pelos crimes cometidos pelos nazistas no campo de Auschwitz.

É um documentário repleto de questionamentos e reflexões. Como os próprios alemães encaram o holocausto? Como a comunidade judaica absorveu esse julgamento? Qual a validade simbólica desse ato? São muitas perguntas que surgiram desse documentário e que eu indico muito para quem se interessa pelo tema.

Franz Liszt – Liebesträume nº 3

Liebesträume (do alemão, “Sonhos de Amor”) é um compêndio de três peças para piano, do compositor romântico Franz Liszt, publicado em 1850. A princípio, as três Liebesträume foram concebidas a partir de poemas de Ludwig Uhland e Ferdinand Freiligrath. O poema de Freiligrath para o terceiro famoso noturno fala de um amor incondicional e maduro.
Essa canção pode ser dividida em três seções, cada uma definida por uma cadencia veloz que requer destreza ao dedilhar e alta proficiência em habilidade técnica.
A mesma melodia é usada durante toda a peça, variada em cada vez, especialmente ao meio da obra onde o clímax é alcançado. Ao final, a peça desfecha em uma seção final de acordes e possui um acorde quebrado para uma finalização geralmente executada lentamente, como se fossem notas individuais ao invés de agrupadas.
Essa linda música possui uma belíssima mensagem: “Ame enquanto puder! A hora virá quando estiver junto ao túmulo e aos prantos”.

Na imagem destacada o quadro The Judgement of Foolishness – Gerard de Lairesse – 1690

Siga o blog também no Instagram!

Até a próxima!

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s