Creedence Clearwater Revival (1968) – CCR #2

1970s best selling albums & singles in Brazil : 1971 October ...

1 – I Put a Spell on You – Screamin’ Jay Hawkins – 4:33
2 – The Working Man – John Fogerty – 3:04
3 – Susie Q – Eleanor Broadwater, Dale Hawkins e Stanley Lewis – 8:37
4 – Ninety-Nine and a Half (Won’t Do) – Cropper, Floyd e Pickett – 3:39
5 – Get Down Woman – John Fogerty – 3:09
6 – Porterville – John Fogerty – 2:24
7 – Gloomy – John Fogerty – 3:51
8 – Walk on the Water – John Fogerty e Tom Fogerty – 4:40

Esse é o primeiro disco da banda. E é um disco muito especial para mim pois foi o primeiro contato que eu tive com a música do Creedence. Quando achei esse disco na estante do meu pai eu pensei: que diabos é isso?? E qual não foi a minha surpresa ao ouvir uma música tão diferente de tudo o que ouvia. Ainda sem entender o que as letras falavam, fiquei impressionado com a qualidade musical do grupo.

Esse disco foi lançado em 1968 e conta com músicas compostas quando o grupo ainda se chamava The Golliwogs, algumas regravações de canções da época e obras inéditas. Lançado em meio a uma grande revolução de costumes, o grupo buscou aliar essa revolução com uma música que se prestava a não esquecer suas origens.

Músicas

The Working Man

Essa música conta a vida de um trabalhador. Vamos lembrar que se trata de um trabalhador, provavelmente braçal, do final da década de 1960. E que a sua diversão era receber seu pagamento na sexta feira e bebê-lo no sábado.

Every Friday, well, that’s when I get paid. / Don’t take me on Friday, Lord,
‘cause that’s when I get paid.  / Let me die on Saturday night, ooh, before Sunday gets my head

Ninety-Nine and a Half (Won’t Do)

Continuando na receita riffs simples e melodia cativante, essa canção diz que noventa e nove e meio não serve, um amante quer 100% de sua amada.

Get Down Woman

A música mais fraca do disco, mas ainda com riffs e mais riffs da guitarra de John.

Porterville

Essa é uma das primeiras músicas escritas por John Fogerty e já mostra como o mundo ao redor da banda servia de enredo para suas canções. Essa canção fala de um filho que teve seu pai enviado para uma guerra (Vietnã) e que apesar do sofrimento não se deixa abater.

They came and took my Dad away to serve some time,
But it was me that paid the debt he left behind.

Gloomy

Outra canção de autoria de John. E aqui há um tom psicodélico, com sons estranhos durante a música, elementos sonoros ao contrário, e toda uma gama de loucuras experimentais.

Some people laugh in the dark / Some people cry alone
Some people talk without sayin’ a thing / And ev’rything turns out Gloomy

Vale a pena ouvir

I Put a Spell on You

Música de abertura do disco, essa canção é uma perfeita versão do clássico soul “I Put a Spell on You” de Screamin’ Jay Hawkins, mas que talvez você já tenha ouvido na voz de Nina Simons, ou da Annie Lennox ou até mesma da cantora nacional Iza. E começar um disco com essa canção tem seu valor e seu poder. Harmonia perfeita entre guitarra, baixo e bateria. Um ato no meio apenas tocado que é de arrepiar. Abaixo, essa música tocada no lendário show de Woodstock:

 

Susie Q

Outra canção que é uma regravação, dessa vez de Dale Hawkins, e que foi uma grande inspiração para a banda, mas que ficou mundialmente famosa na versão Creedence. Essa canção logo se tornou um hit, apesar de ter quase nove minutos. E estamos falando de um disco de abertura, com apenas 8 músicas, e uma delas tem quase 9 minutos! Os atos harmônicos são inesquecíveis, vale muito a pena ouvir.

 

Walk on the Water

Música que fecha o disco e é uma regravação de uma das composições da época dos The Golliwogs, encerra o disco com belos efeitos na guitarra, encantando o ouvinte numa sucessão de notas ao estilo swamp rock e um solo maravilhoso, evidenciando um belíssimo timbre de guitarra. Essa música conta uma história, que pode ser de terror, mas pode também ser religiosa, de uma caminhada noturna que termina com a visão de um homem caminhando sobre a água de um rio e chamando pelo seu nome.

 

Na imagem destacada o quadro The Mystic Spell, de Carl Rudolph Krafft.

Siga o blog também no Instagram!

Até a próxima!

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s