Memorial de Aires #64

“A vida, mormente nos velhos, é um ofício cansativo.”

Anúncios

Sidarta #63

Trazemos dentro de nós a capacidade de sermos o tudo e o nada, o claro e o escuro. Somente quando nos dermos conta de que o universo não apenas está em nós, mas que nós somos o universo, somente então teremos a serenidade de Sidarta para aceitar nossa insignificância e desapegar de tudo o que nos amarra nesse mundo de sombras.

Os Dez Dias que Abalaram o Mundo #54

Esse livro apresenta um relato in loco de quem esteve presente na maioria das reuniões, ao lado de Lênin e Trotski, ouvindo os discursos inflamados de bolcheviques e mencheviques, de soldados e marinheiros, operários e camponeses. Reed é partidário da revolução, seu discurso é carregado de um parcialidade latente, mas nem por isso deixa de ser um livro especial. 

O Vermelho e o Negro #53

Apesar de esconder-se atrás de mentiras, Stendhal sempre falou a verdade dos sentimentos humanos. O título do livro é alvo de muitas dúvidas. Estaria o autor se referindo ao vermelho do sangue derramado pela revolução e o negro da batina do padre? Ou seria uma referência ao vermelho da força do exército napoleônico e o negro de sua humilhante derrota?