Sidarta #63

Trazemos dentro de nós a capacidade de sermos o tudo e o nada, o claro e o escuro. Somente quando nos dermos conta de que o universo não apenas está em nós, mas que nós somos o universo, somente então teremos a serenidade de Sidarta para aceitar nossa insignificância e desapegar de tudo o que nos amarra nesse mundo de sombras.